Páginas

Um retorno aos meus silêncios... nem tão verdes agora!

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Na hora


Do sol nascente não vi brilho
dizem que estava bonito
permaneci de olhos fechados
até ouvir os gritos

em minha mente insana
tal qual degraus de uma escada
ecoaram minhas ganas
no escuro, em plena madrugada

mas já era dia
pelo menos eu achava
lambi todas as feridas
abracei quem me amava

e os olhos procurei
de alguém que foi embora
claro que não encontrei
vi que tinha chegado a hora.

Dhenova

Sou quem sou

Sou quem sou

É certo que não sou a mesma
nem quero ser
aprendi com os açoites do vento
a seguir firme e sempre
não me interessam os outros
seus egos, infelicidades, desconfortos
aprendi a cair suave e a levantar rápido
não suporto mentiras e gente que late
já fui boazinha, idiotas dizem covarde
mas sei da paz que quero
conheço a mim mesma
aposto nas minhas verdades.
e não sucumbo nunca
a quem me bate.

Dhenova