Páginas

Um retorno aos meus silêncios... nem tão verdes agora!

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Ando

Ando por trilhas escuras
Sombrias e nuas
Sem inspiração

Sinuosos, quietos
Os caminhos
Desenhados na pedra

Preta e branca
A paisagem agreste

Ando por ruas vazias
Silenciosas
Cinzentas

Transborda o veneno
Chuva fina molha tudo
Escorre pelo vidro

Lá, na lápide
Durmo o pesadelo
Mantenho a tez tranquila

Serena e quase viva.


Dhenova